terça-feira, 4 de novembro de 2008

Blog SDC Entrevista: Jorge Rehder

Um artista disfarçado de dentista.

É esse sentimento que todos nós que não somos pacientes do Jorge em seu consultório de periodontia alimentamos, cada vez que cantamos uma de suas canções.

Quem o conhece pessoalmente entende muito bem como ele consegue exercer atividades tão distoantes como dentista e cantor - ou ainda pastor. Quem o conhece sabe que sobre este pequeno grande homem existe uma benção especial de Deus. Sabe que esse talento enorme é equilibrado por um coração enorme. E esse coração o transforma em um pastor cuidadoso, em um amigo presente, em um artista sensível, em um pai companheiro...

Gastar um tempo com o Rehder é sempre algo prazeroso. O homem é realmente uma simpatia. Ele nos atendeu com muita alegria para essa entrevista, que você confere abaixo:

Blog SDC:Olá, Rehder! Há quantos anos você está envolvido com a música cristã?
Rehder: desde 1973, no início com um grupo musical de jovens na Igreja Metodista em São Paulo.

Blog SDC: Você se lembra qual foi a primeira música que você compôs?
Rehder: foi um xote-“Canto à felicidade”

Blog SDC: Como você se sente em saber que as suas músicas são tocadas na maioria das igrejas do país?
Rehder: O que um compositor mais gosta é de poder mostrar o seu trabalho, ser reconhecido. Na realidade somos todos carentes e precisamos de encorajamento. O meu sentimento é de gratidão a Deus por me usar neste ministério, apesar das minhas fragilidades e limitações, só Deus mesmo.

Blog SDC: Quais foram seus grandes parceiros de composição?
Rehder: Guilherme Kerr, Jorge Camargo e Nelson Bomilcar.

Blog SDC: O que você pensa sobre este momento vivido pela igreja, com esta supervalorização da música em detrimento à palavra? E qual é a sua reação ao ver as loucuras feitas por alguns crentes em cima de um palco ou púlpito?
Rehder: A música realmente está supervalorizada, o que não significa que tenha mais qualidade, vejo que a maioria das comunidades usam músicas com melodias pobres e harmonizações fáceis, não há empenho para uma musica mais elaborada ( é mais fácil ). A letra é voltada na maioria das vezes para a tal da teologia da prosperidade, isto reflete no estilo de vida das pessoas, fazendo com que vivam um cristianismo utilitário e num relacionamento superficial com Deus. Com relação as loucuras no palco ou púlpito minha primeira reação é de espanto, daí vou absorvendo o fato e fico envergonhado, daí passa mais um tempo começo a ficar bravo e me pergunto: “ porque ninguém toma uma providência, principalmente eu?, passa mais um tempo começo a entender que preciso orar mais, estudar mais a bíblia, ter relacionamento profundo com meu Senhor, discipular e influenciar de alguma forma a minha geração, o problema é que as vezes me sinto cansado, de remar contra a maré, mais vale a pena, não desisti, tenho esperança.

Blog SDC: Quais foram suas grandes influências ?
Rehder: na área de arte musical: Ivan Lins, Marcos Vale, Queen, Elomar, Boca Livre.

Blog SDC: Você pode nos dizer algo sobre a importância de um evento como o Som do Céu completar 25 anos ano que vem?
Rehder: A realidade é que o Som do Céu, não é mais um evento, passou a ser um ajuntamento de irmãos revelador das visões do Reino de Deus através das artes. A importância está na capacidade desse encontro de encorajar, fortalecer, renovar compromissos e desencadear mudanças.

Blog SDC: Deixe um recado para as pessoas que estarão lá no SDC ano que vem.
Rehder: Pra todos nós que vamos estar no SDC 2009 que seja a oração e o esperar no Deus que surpreende e que lá a gente fique atento e perceba claramente o vento do Seu Espírito naqueles dias nos direcionando para algo mais ousado, por que não?


2 comentários:

vox disse...

Esse Rehder é uma bênção. Um cara que Deus usa muito pra trazer belas canções pro nosso meio. Obrigado, Rehder!! Um abraço do Reny Cruvinel

Lucas Franco disse...

Quando abrem as inscrições?? Abração!!

demaso87@gmail.com